O musical “American Idiot”, com as músicas do álbum homônimo da banda de punk rock Green Day, vai mesmo chegar ao Brasil em 2017. Mas os preparativos para o espetáculo começam já neste mês. O diretor Mauro Mendonça Filho (de “No Retrovisor”), responsável pela montagem, anunciou que as inscrições para as audições serão abertas nesta semana. A ideia é fazer os testes dentro de um mês e meio e iniciar os ensaios no segundo semestre. A previsão de estreia é para o início do ano que vem, no Rio de Janeiro, seguindo para São Paulo depois.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O “American Idiot” terá versão brasileira do próprio Mauro Mendonça Filho e co-produção da Renata Borges, da Fábula Entretenimento, produtora por trás de “Cinderella” de Rodgers & Hammerstein em São Paulo. A ficha técnica inclui ainda o diretor musical Carlos Bauzys, de “Nuvem de Lágrimas” e “O Homem de La Mancha”, e a coreógrafa Daniella Visco (de “Ó Abre Alas”).

Para o elenco, o diretor quer atores bem jovens, pois os personagens girarão em torno de 16 anos. Em entrevista ao jornal Estadão, Mauro falou que “quem tiver 30 anos já será considerado velho”. Para os papeis principais, ele está de olho principalmente nos tenores com boa noção de coreografia. “Pretendo montar um espetáculo sem compromisso com a Broadway. Quero algo mais niilista, sem coreografia tradicional, mais punk. Será algo sem panfletagem, sem apontar o certo e o errado”, adianta.

A versão original do musical estreou em 2010 e ficou um ano em cartaz na Broadway, vencendo o Grammy de melhor álbum de teatro musical e recebendo os Tony Awards de melhor luz e cenário de musical. Concebido por Billie Joe Armstrong, o vocalista do Green Day, o musical dá vida ao disco “American Idiot”, lançado em 2004. A história é sobre um grupo de jovens americanos lutando para encontrar sentido no mundo pós os atentados terroristas de 11 de setembro.

Além da montagem na Broadway, houve uma no West End – a que Mauro Mendonça Filho assistiu – e turnês pelos Estados Unidos e pelo Reino Unido. Neste ano, inclusive, há uma turnê da peça na Inglaterra.