O que se passa em um colégio ocupado pelos estudantes em tempos de greve? Além de mostrar resistência e chamar atenção para a crise na Educação, os alunos da Escola Técnica Estadual Martins Pena organizaram um viradão cultural em sua primeira semana de ocupação. Aberto para a comunidade, com entrada franca, o evento contou com apresentações de cenas, performances, exposição, poemas, música, mesas de conversa e “microfone aberto”, ao longo de 24 horas, pegando a sexta (13/5) e o sábado.

(Foto: Danuza Formentini)
(Foto: Danuza Formentini)

Cecília Boal, viúva de Augusto Boal (1931-2009), do Teatro do Oprimido, participou da virada cultural, em uma roda de conversa com os estudantes. Desde que ele morreu, ela se dedica ao trabalho no Instituto Augusto Boal, para manter sua obra acessível e sua alma viva. O teatrólogo era conhecido por suas peças associadas à ação social e política, democratizando a linguagem teatral. É certamente uma trajetória que conversa com o panorama que os estudantes estão vivendo, dormindo e passando os dias na escola sem aulas.

Cecilia Boal (Foto: Danuza Formentini)
Cecilia Boal (Foto: Danuza Formentini)
(Foto: Danuza Formentini)
(Foto: Danuza Formentini)

A atriz de 28 anos Danuza Formentini, uma das alunas da Martins Pena, participa do #OcupaMartins e foi uma das envolvidas na organização do evento. Ela também ficou responsável por fazer a cobertura do virão em tempo real, mostrando no Instagram do Teatro em Cena o que acontecia na escola. “Recebemos doações vindas de diversos lugares do Rio, e de diversas formas. Recebemos filhos da Martins de diversas gerações, formados desde os anos 60. Os filhos de volta à casa. Que encontro e troca lindos!”, diz a estudante. “A Virada Cultural teve um papel muito importante dentro da nossa ocupação #OCUPAMARTINS. Ela reafirmou que as portas da nossa escola estão abertas para a população! A Martins Pena não está abandonada por nós. Estamos cuidando e lutando por ela”.

A Martins Pena vem de uma greve de dois meses, por conta da falta de pagamento para os professores, mediante a crise financeira do governo estadual. Mas os problemas na escola são mais antigos. Segundo os alunos, a ocupação foi “a última alternativa” para serem ouvidos. Ela começou no dia 9. Entre suas reivindicações, estão transporte e alimentação gratuitos (como o curso não é enquadrado como Ensino Médio, eles não têm direito a esses benefícios), melhorias de infraestrutura e equipamentos e isonomia salarial, entre outros pontos.

A Escola Técnica Estadual Martins Pena é a escola teatral mais antiga da América Latina em atividade e há anos funciona vinculada à FAETEC. Procópio Ferreira (1898-1979), Cecília Meireles (1901-1964), Oduvaldo Vianna (1892-1972) e José Wilker (1944-2014) já fizeram parte do corpo docente. Ela sempre foi gratuita, para que todos tivessem acesso à formação de atores. Na prática, sem pagamentos para professores e com alunos tendo que arcar com passagens de transporte coletivo, esse objetivo passa a ser questionado.

Roda de conversa com as performers de "POR NÓS em: Carta às mulheres" (Foto: Danuza Formentini)
Roda de conversa com as performers de “POR NÓS em: Carta às mulheres” (Foto: Danuza Formentini)
Performance "Eu não (DENÚCIA)" (Foto: Danuza Formentini)
Performance “Eu não (DENÚCIA)” (Foto: Danuza Formentini)