O espetáculo “Meninos e Meninas” é uma reunião de esquetes cômicos e dramáticos com a intenção de pintar um painel da adolescência. Criação dos diretores Afra Gomes e Leandro Goulart (de “Garotos” e “Pout-PourRir”), a peça faz lembrar tantas outras direcionadas ao público juvenil, como “Confissões de Adolescente” (de Maria Mariana) e “Beijos de Verão” (de Domingos Oliveira), só que repaginada e atualizada. Diferenciais são o apelo musical, com pequenos números ao violão intercalando algumas cenas; a abrangência de temas menos óbvios, como distúrbios alimentares, bullying e direção imprudente; e o trato da sexualidade sem sutilezas.

(Foto: Marilene Cândido)
(Foto: Marilene Cândido)

O cenário é básico, com andaimes e tábuas, pelas quais o elenco de 18 atores sobe e desce ininterruptamente, em contextos que vão de escola a shoppings. As cores vêm dos figurinos de Clara Magdalena e da iluminação de Frederico Eça, que conseguem imprimir juventude no visual do espetáculo. Tudo fica jovem, sem idiotizar o público, levando para a estética o mesmo tratamento dado no texto, que é eficaz na comunicação com os adolescentes. A trilha sonora, igualmente, vai de Katy Perry ao Legião Urbana, indicando que a peça não data uma geração específica, e é mais universal.

Na escalação do elenco, há um inegável apelo comercial, com nomes como Anna Rita Cerqueira (de “Alice no País das Maravilhas”), Bruna Griphao, Lucca Diniz e Eduardo Melo (de “Peter Pan”) recém-saídos da novela “Malhação”. Além do menino do comercial da Vivo (João Côrtes, muito engraçado em todos seus momentos de destaque) e do ator Lucas Cotrim (de “Pout-PourRir”), que tira a camisa em várias cenas, arrancando gritinhos histéricos por causa do seu abdômen definido. Uma espécie de sex symbol da trama. Todos esses são convincentes em suas atuações, mas são dois nomes anônimos que chamam a atenção: Ingrid Klug (de “Pout-PourRir”) e Luiza Lapa (de “Across the Universe – O Musical”). Ingrid monologa na parte mais dramática do espetáculo, sobre o primeiro contato do jovem com a morte, no caso a de sua avó, e emociona a plateia. Já Luiza…

Luiza Lapa em cena com Lucas Cotrim e Eduardo Melo. (Foto: Marilene Cândido)
Luiza Lapa em cena com Lucas Cotrim e Eduardo Melo. (Foto: Marilene Cândido)

Vinda de Brasília, a atriz de 24 anos estreia nos palcos cariocas roubando a cena em “Meninos e Meninas”. Ela é aplaudida efusivamente no meio de sua encenação, com uma personagem à la Fernandona (de Tatá Werneck no extinto “Comédia MTV”), conquistando os espectadores que não foram ao teatro especificamente para vê-la. Além disso, se destaca em todos os números musicais pelo belo canto, até mesmo quando o microfone falha e ameaça prejudicá-la. Luiza 1 x 0 microfone. Não é precipitado dizer que a atriz é o maior acerto do espetáculo e será seu principal legado para os palcos cariocas.

A temporada vai até 10 de agosto no Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, com ingressos a R$ 60, e sessões às 18 no sábado e às 17h no domingo.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural.