A cena: Françoise Forton, Clarisse Derzié Luz e Eduardo Barata estão no palco do 10º Prêmio APTR recebendo o último troféu da noite: o de melhor produção – pelo espetáculo “Estúpido Cupido”. Entre os discursos emocionados dos três, um quarto personagem aparece na frente do palco, dizendo algo que ninguém ouve muito bem. Julia Lemmertz, apresentadora da cerimônia, autoriza sua subida para que ele fale no microfone. “O que está acontecendo?” é uma pergunta que se passa na cabeça de todos. O homem sobe no palco e faz agradecimentos à produtora Barata Comunicação, relembrando sua própria trajetória: ele começou sua carreira lá, como estagiário. Emocionado, diz que Ricardo Barata foi seu mentor e chama outros profissionais da produtora a subirem no palco também. É legal o que ele diz, mas não apaga a sensação de “por que ele está fazendo isso?”. O protagonista da cena é o publicitário e produtor cultural Rodrigo Medeiros, gerente de relacionamento da BRAIN+. O Teatro em Cena entrou em contato para entender o que houve na cerimônia, no Imperator, no Méier.

Rodrigo Medeiros no Prêmio APTR (Foto: Leonardo Torres)
Rodrigo Medeiros no Prêmio APTR (Foto: Leonardo Torres)
Rodrigo: um BRAIN+ entre os vencedores d Barata Comunicação (Foto: Leonardo Torres)
Rodrigo: um BRAIN+ entre os vencedores d Barata Comunicação (Foto: Leonardo Torres)

– Quando anunciaram a vitória da Barata Comunicação, me deu um flashback dos dez anos que estou nesse mercado, e o Prêmio APTR está fazendo dez anos também. Na verdade, eu não ia subir no palco. Ia falar ali embaixo, agradecer ao Eduardo e o irmão dele como meus professores, e parabenizar por esses dez anos. Ele está há dez anos como presidente dessa associação. – Rodrigo conta ao site – Fiquei muito feliz e eufórico, pois sei da força e garra do produtor Eduardo Barata para viver e respirar teatro. Diante de tantas emoções, quebrei o protocolo e dei um depoimento super emocionado, extasiado de tanta alegria pelas conquistas alcançadas e por fazer parte da história de sucesso das empresas em que pude contribuir com meus conhecimentos e minha dedicação.

Para a Barata, acabou sendo um “case” humano apresentado ali para toda classe artística. Afinal, no intervalo de dez anos, um estagiário deles chegou ao posto de gerente de relacionamento de outra das mais respeitadas produtoras do mercado. Inclusive, a BRAIN+ concorria, em parceria com a Estamos Aqui Produções, ao prêmio de melhor produção pelo espetáculo “Ou Tudo Ou Nada – O Musical”. A peça era uma das mais cotadas ao troféu, por conta de sua montagem autossustentável, com verba mínima de patrocínio e oito meses em cartaz.

Rodrigo com Mouhamed Harfouch, protagonista de "Ou Tudo Ou Nada" (Foto: May Dugaich)
Rodrigo com Mouhamed Harfouch, protagonista de “Ou Tudo Ou Nada” (Foto: May Dugaich)

– Diante de inúmeras pessoas especiais que me ajudaram na minha construção pessoal e profissional, me emocionei e me exaltei diante do público. Gostaria que ficasse esclarecido que foi um momento muito feliz e especial. A emoção tomou conta de mim.

Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Gestão de Entretenimento, Rodrigo Medeiros juntou suas duas áreas de atuação no estágio na Barata Publicidade. Ficou três anos na empresa, realizando seu sonho de trabalhar com teatro. “Aprendi tudo sobre plano de mídia lá, além de acompanhar de perto ensaios de grandes nomes como Marília Pêra e Antônio Fagundes”. Em seguida, abriu uma produtora local em Niterói, a Terceiro Sinal, que atua no mercado até hoje.

Foi esse trabalho que o levou a conhecer Frederico Reder da Brainstorming. Prestando serviço para ele, Rodrigo o convenceu a levar o espetáculo “Tango, Bolero e Cha, Cha Cha” para o Teatro Abel em Niterói e os dois estreitaram os laços. A partir disso, Frederico o chamou para trabalhar na área de comunicação de sua empresa, que ia começar a reforma o Teatro Tereza Rachel – atualmente chamado de Theatro Net Rio, em Copacabana. Rodrigo, então, teve a oportunidade de participar do processo de revitalização do local, cuidando do relacionamento com a mídia e da formação de plateia. Passou por diversas funções até chegar ao seu posto atual. “Tive três mestres no mercado: Ricardo e Eduardo Barata, e Frederico Reder”. No Prêmio APTR, quando ouviu o anúncio da vitória da Barata, tudo se juntou na sua cabeça.

– Não fiquei arrependido de ter subido no palco. Fiquei tão afoito com as sinergias e as coincidências: o Fred[erico] na edição passada ganhando o prêmio; eu, dez anos; ali do meu lado estavam as pessoas da Barata… Não me arrependi. Só fiquei eufórico. Como diz meu mestre Ariano Suassuna, “arte para mim não é produto de mercado. Podem me chamar de romântico. Arte para mim é missão, vocação e festa”.

Rodrigo, como estagiário da Barata Publicidade, em 2009 (Foto: Arquivo Pessoal)
Rodrigo, como estagiário da Barata Publicidade, em 2009 (Foto: Arquivo Pessoal)
Com Bibi Ferreira (Foto: Arquivo Pessoal)
Com Bibi Ferreira (Foto: Arquivo Pessoal)
Com equipe da Brainstorming na inauguração do Theatro Net Rio, em 2012 (Foto: Studio Prime)
Com equipe da Brainstorming na inauguração do Theatro Net Rio, em 2012 (Foto: Studio Prime)
Equipe Brainstorming comemorando troféu do Prêmio APTR 2015 pela gestão do Theatro Net Rio (Foto: Arquivo Pessoal)
Equipe Brainstorming comemorando troféu do Prêmio APTR 2015 pela gestão do Theatro Net Rio (Foto: Arquivo Pessoal)