Após a apresentação de “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos” em Belo Horizonte ter sido parada por um confronto entre o ator e diretor Claudio Botelho e parte da plateia, o Sesc Palladium decidiu cancelar a sessão prevista para este domingo (20/3). Foi publicado um informe na página do teatro no Facebook, com a seguinte mensagem: “Esclarecemos que o Sesc em Minas, a Pólobh e demais instituições envolvidas são apartidárias. Compreendendo o momento pelo qual o país passa atualmente e primando pela segurança de todos, a sessão prevista para este domingo está cancelada. Os valores pagos pelos ingressos serão integralmente devolvidos”.

Claudio Botelho e Soraya Ravenle em cena de "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos" (Foto: Reprodução)
Claudio Botelho e Soraya Ravenle em cena de “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos” (Foto: Reprodução)

Durante a apresentação de sábado (19/3), Claudio Botelho inseriu um caco, dizendo que na cidade fictícia da história “havia um ex-presidente ladrão e uma ladra que ia sofrer um impeachment”. A referência clara a Lula e Dilma Rousseff mexeu com os ânimos da plateia. Parte do público se levantou, vaiou e deixou o teatro aos gritos de “não vai ter golpe!”. Claudio, porém, continuou discutindo com quem ficou presente – até que as cortinas tiveram que ser fechadas. Segundo o Sesc, a sessão “foi interrompida devido às reações motivadas pela manifestação política de um ator do espetáculo”.

A polêmica continuou no Facebook. Os espectadores buscaram o perfil do diretor na rede social e encheram seus posts – também de teor político – de críticas. A discussão tomou proporção nacional, com a convocatória que outros militantes do PT também deixassem sua reprovação ao artista no Facebook. O perfil dele foi bombardeado e ele teve que deletar a página, neste domingo (20/3). As principais críticas se referiam ao fato de Claudio ter apoiado o impeachment em um espetáculo com canções de Chico Buarque, que sempre foi de esquerda e recentemente foi tratado hostilmente nas ruas por sua opinião contra o que chama de “golpe militar”. O cantor já subiu em palanque com a Dilma Rousseff, inclusive.

Dilma e Chico (Foto: Reprodução)
Dilma e Chico (Foto: Reprodução)

Para completar o escândalo envolvendo Claudio, o Mídia Ninja divulgou um áudio gravado nos bastidores do teatro, revelando uma discussão entre o diretor e a atriz Soraya Ravenle, que faz sua esposa na peça. Soraya repreende Claudio pela postura em cena, dizendo que não era o melhor momento para misturar realidade e ficção e expor o resto do elenco ao seu posicionamento. Na gravação, que provavelmente vazou de alguém de dentro da equipe, Claudio Botelho grita que “é o produtor, o dono, o responsável” e quem quiser “é só uma questão de sair [do elenco]”. Mas o trecho que mais repercute na Internet é um em que Claudio diz que “o ator que está em cena é um rei, não pode ser peitado por um negro, por um filho da **** que está na plateia”. Com isso, conseguiu acusações de racismo, além de tudo.

Claudio e Chico juntos na primeira temporada do musical, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)
Claudio e Chico juntos na primeira temporada do musical, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)