(Foto: Carla De Conti)
(Foto: Carla De Conti)

Tammy di Calafiori tem orgulho de si por conseguir viver da carreira de atriz. No início do ano, foi vista como a malvadinha do filme teen “Confissões de Adolescente”. Atualmente, grava uma minissérie completamente diferente para a Rede Record: “Milagres de Jesus”. E, na sexta (30/5), volta a interpretar uma noiva reticente quanto ao casamento na peça “Casório”, escrita por Marcélli Oliveira (de “Às Terças”). “São universos totalmente diferentes e, para mim, como atriz, é maravilhoso fazer coisas tão diferentes ao mesmo tempo”, diz ao Teatro em Cena. “Gosto muito da minha profissão. Tenho um prazer enorme em exercê-la e viver dela”.

Aos 25 anos, a carioca aparenta menos idade, o que lhe permite passear com desenvoltura por diferentes universos. De vestido de noiva e véu, ela não lembra nem de longe a personagem de “Confissões de Adolescente”, seu trabalho mais recente. Na peça, que existe desde 2012 e estreia uma nova temporada no Teatro Café Pequeno, no Leblon, Tammy vive uma mulher apaixonada pelo noivo, mas com medo de se prender a uma única relação para sempre. Afinal, ele foi o primeiro e único namorado dela. O tema se comunica diretamente com a atriz.

Ela se relacionou por cinco anos com o ator João Gabriel Vasconcellos (de “Covil da Beleza”), e chegou a morar com ele. Praticamente um casamento – mas sem a cerimônia. Tammy até tem vontade de se casar, de verdade, de papel passado, mas não tem pressa. “É tão difícil prever. Essas coisas vão acontecendo, sendo construídas”. Também não sabe se colocaria o vestido branco – embora goste da ideia. “Eu me visto assim todo final de semana que tem apresentação. Mas não me canso, porque acho tão bonito”, ri.

Suas amigas começaram a noivar, se casar, ter filhos. “Tô em fase de casamentos”, brinca a atriz, que admite se identificar com sua personagem. Não pelo medo de passar o resto da vida com a mesma pessoa, mas por concordar que mais experiências são necessárias. “Acho que temos outras coisas para descobrir e focar na vida. Depende do seu momento”, pondera. “Para compor essa personagem, não me inspirei em alguém específico, mas em uma geração. Acho que minha geração é um pouco assim. As pessoas estão casando cada vez mais tarde, até porque estão vivendo mais tempo. Isso prolonga as fases da vida”.

Na peça, ela contracena com a própria dramaturga, Marcélli, e Paula Giffoni (de “Drácula – O Musical”), Carol Garcia (de “De Repente”) e Zeca Richa (de “Amor Demais”). Elas vivem outras noivas e ele interpreta todos os personagens masculinos. Após um ano e meio em circulação, Tammy vê o time mais confiante e seguro. “Acho que teatro é reflexão e descoberta de coisas novas sempre”, comenta. “Passaram outras pessoas pelo elenco, e cada uma acrescentou de uma forma diferente, modificou o espetáculo e deixou sua marca”. O espetáculo também possibilitou que ela trabalhasse com João Fonseca (de “O Grande Circo Místico”), que assina a supervisão artística, e com Alexandre Contini (de “Às Terças”), responsável pela direção. “Adoro o João e gosto muito de trabalhar com ele. E o Alê é cria dele, então foi ótimo. O Alê é uma pessoa que eu quero para minha vida pessoal e profissional. Temos vontade de continuar trabalhando juntos”.

Elenco atual de "Casório". (Foto: Carla De Conti)
Elenco atual de “Casório”. (Foto: Carla De Conti)

Até quando vai dar “Casório”, ela não sabe. A temporada no Café Pequeno vai até 22 de junho, com sessões de sexta a domingo, e outras datas ainda não estão confirmadas. Tammy revela que quer passar a produzir, e tem um projeto para uma peça, mas não entrega detalhes. “Tô começando um embriãozinho aí, mas não tenho muito ainda pra falar”. Esse assunto fica para outra vez.